quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

VEVEU NA CONTRA-MÃO. AINDA NÃO ANUNCIOU SECRETARIADO

Já era de se esperar. Veveu ainda não nomeou o seu novo secretariado. Será que ficarão os mesmo? Ainda não se sabe. O que se sabe é que a preguissa pode ser um desafio a ser enfrentado pelo novo administrador de Sobral.

Lula agradece cearenses por não reelegerem Tasso Jereissati ao Senado



Ao discursar em cerimônia na cidade de Caucaia (50 km de Fortaleza) nesta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da silva agradeceu os cearenses por não terem reeleito o senador Tasso Jereissati (PSDB). Sem citar o desafeto, Lula agradeceu os votos em seus aliados.

"Agradeço de coração a reeleição do Cid Gomes [ao governo do Ceará], a eleição da companheira Dilma [Rousseff] e agradeço de coração a eleição dos senadores que vocês elegeram e me fizeram um favor tremendo", afirmou o presidente.

Foram eleitos em outubro para o Senado os deputados José PImentel (PT) e Eunicio Oliveira (PMDB). Após o resultado das urnas, Tasso anunciou sua aposentadoria da política.

CONTINUO SEM ENTENDER A CÂMARA MUNICIPAL DE SOBRAL

O vereador João Alberto é o novo presidente da Câmara a partir do dia 01 de janeiro de 2011, às 00:01 hs. Assim, por que o edil João Alberto não dará posse ao Veveu? É, continuo sem entender a Câmara Municipal de Sobral.

O PODER É DOCE COMO MEL

Quem está do lado do Poder sabe bem como isso funciona. Ele é doce com mel.
A independência de nosso blog nós afastou do Poder, afinal não são todos que podem se dar ao luxo de criticar os Poderosos e sair ilesos das críticas ofertadas.
Manteremos o nosso olhar focada na autonomia e independência, assim como fazemos na advocacia.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

TUDO AGORA PASSA POR ELE. VEREADOR JOÃO ALBERTO, O POLÍTICO DO ANO



Quem diria. O vereador João Alberto pode ser considerado o político do ano. A explicação é simples. Ele desafiou Secretários, afirmou que a Câmara de Sobral não pode ser "uma secretaria do executivo". Atuou com destemor na Comissão Parlamentar sobre a Santa Casa e na Presidência da Comissão de Constituição e Justiça. Juntamente com o Grupo G6 (Paulo Vasconcelos, Paulão, Zezão, Zé Vytal, Adauto Arruda, João Alberto) implantou um novo jeito de ser na Câmara de Sobral a fim de garantir maior autonomia e independência do executivo (os tempos do "facão" acabaram). Conseguiu no último minuto o voto necessário para garantir a sua eleição na Câmara de Sobral mesmo sem o apoio do Paço Municipal. Soube tratar de assuntos de interesse da sociedade de forma séria e honesta.
Assume a Câmara Municipal de Sobral com desafios a serem enfrentados, em especial a de "superar a administração do vereador Hermenegildo" sem contudo esquecer daqueles que mais lhe ajudou, os próprios vereadores do GRUPO G6.
João Alberto é cauteloso, mas precisa abrir-se mais com seus colegas.
Como dissemos, tudo em Sobral agora passa por ele. Nada na prefeitura é feito sem antes comunicar ao novo Presidente da Câmara Municipal de Sobral.
PARABÉNS AO POLÍTICO DO ANO: VEREADOR JOÃO ALBERTO.
O abraço do colega advogado LINTOR TORQUATO....

LUCIANO FEIJÃO DARÁ POSSE A VEVEU


Tomamos conhecimento que quem dará a posse ao Vice-Prefeito Clodoveu Arruda é o edil Luciano Feijão. Ele foi o escolhido por ser o mais antigo na Casa do Povo. A posse estaria sendo marcada para a manhã do dia 01 de Janeiro de 2011.
José Vytal ficará igual ao Leônidas Cristino - a vê navios.
O vereador João Alberto já está com as orelhas de pé. 'Por que tanta pressa? Será que não podem esperar para depois da posse da nova mesa?'
O edil Luciano Feijão, que dará posse a Veveu, garante que tudo será feio dentro da normalidade.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

QUEM DARÁ POSSE AO VEVEU? FORTES EMOÇÕES.



Voltamos novamente com nova polêmica. Quem dará a posse ao vice-prefeito Veveu (Clodoveu Arruda)? Primeiro é importante ressaltar a competência da Câmara Municipal quando o Prefeito Leônidas Cristino pedir a sua renúncia, vejamos então o que diz a Lei Orgânica:

Art. 36 - Compete à Câmara Municipal, privativamente, entre outras, as seguintes atribuições:
XIV - dar posse ao Prefeito, ao Vice-Prefeito, conhecer de suas renúncias e afastá-los definitivamente dos cargos, nos termos previstos em lei;

Assim, podemos observar que compete privativamente à Câmara Municipal conhecer da renúncia do Prefeito Leônidas Cristino

Após a renúncia do prefeito, quem dará posse ao Vice-Prefeito?

Pois bem. Depois que a Câmara Municipal conhecer da renúncia do Prefeito, pela lógica prevista na Lei Orgânica, quem dará posse é a própria Câmara Municipal, competência esta privativa. Com isso observamos que é a própria Câmara que conhece da renúncia de Leônidas Cristino e ao mesmo tempo dará posse ao vice-prefeito Clodoveu Arruda.

A pergunta que não quer calar: Quem preside a solenidade de posse do vice-prefeito? Respondo: a Câmara de Vereadores, através do seu presidente. Acontece que o futuro presidente da Câmara, vereador João Alberto, só tomará posse no dia 01 de Janeiro de 2010, às 18 horas (conforme convite oficial) só podendo ser dado posse ao vice-prefeito depois desse horário.

Ocorre que tomei conhecimento que Veveu pretende tomar posse na manhã do dia 01 de janeiro, por volta das 09 horas.

Tudo errado. O pior que o erro está sendo cometido pelo atual presidente da Câmara Municipal de Sobral, Hermenegildo, que já está preparando convocação dos vereadores para dar posse ao vice-prefeito Veveu sem ao menos ter recebido a Carta Renúnica de Leônidas Cristino. UM ABSURDO.

Outra coisa. Como pode Hermenegildo convocar os vereadores se nem recebeu a Carta Renúncia de Leônidas?

Como dissemos, compete privatimente à Câmara Municipal, primeiro conhecer a renúncia do Prefeito Leônidas Cristino, para depois ser possível a posse do vice-prefeito. Sem o conhecimento da renúncia do Prefeito a Câmara Municipal não pode dar posse ao vice-prefeito. Isso seria um ato viciado e sem validade. Clodoveu Arruda começaria o ano já cometendo irregularidades e ilegalidades já que, pelo que se sabe, a Câmara Municipal de Sobral ainda não tomou conhecimento da renúncia de Leônidas e só ela pode dar posse ao vice-prefeito.

Conclusão: Se Veveu quer tomar posse no dia 01 de Janeiro, deverá esperar o vereador João Alberto ser presidente (tomar posse) para que possa, dentro da lei, ser empossado o novo prefeito de Sobral.

Conclusão2: Hermegildo não pode convocar os vereadores para nenhum ato após o término de seu mandato, afinal, a partir do dia 01 de Janeiro o presidente é o edil João Alberto.

Outra coisa. Se por absurdo legal a posse do Veveu fosse no dia 01 de Janeiro pela manhã, como quer Hermenegildo, quem deveria presidir seria o vereador mais votado, conforme pode-se tirar de uma interpretação lógica do art. 4 e 5 do Regime Interno, passando a bola da vez para o edil Zé Vytal.

SOBRAL TERRA DE CENAS FORTES...... VAMOS AGUARDAR....

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO GANHA DE CID GOMES


Eduardo Campos é o governador mais bem avaliado do país, diz Datafolha


Reeleito com o maior percentual de votos válidos (82,84%) nas eleições, o pernambucano Eduardo Campos (PSB) é o governador mais bem avaliado do país, segundo pesquisa Datafolha realizada em oito Estados e no Distrito Federal.

De acordo com o instituto, a nota média atribuída a Campos pelos moradores de Pernambuco foi de 8,4. É a maior nota obtida por ele desde novembro de 2007. Na rodada anterior, em julho, ele marcou 7,7.

O pernambucano, que também é presidente do PSB, também alcançou a maior taxa de aprovação (ótimo e bom), com 80%. Em julho, esse índice era de 62%.

O ranking do Datafolha usa como critério a nota média de cada governador numa escala de zero a dez. O critério de desempate é o índice de popularidade, que avalia percentuais de aprovação e reprovação.

Em segundo lugar na lista aparece outro governador reeleito, no primeiro turno, pelo PSB, o cearense Cid Gomes. Ele conquistou 61,27% dos votos nas eleições.

Gomes teve nota média de 7,6 e aprovação de 65%.

O terceiro colocado é o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), também reeleito, com 63,83% dos votos. Ele teve nota média de 7,3 e aprovação de 60% dos baianos.

Sucessor de Aécio Neves (PSDB) em Minas Gerais, o tucano Antonio Anastasia inicia novo mandato com nota 7,1. Ao herdar o governo, pouco antes das eleições, sua nota era 6,2.

Sérgio Cabral (PMDB), no Rio de Janeiro, teve nota 6,8. Antes de iniciar a campanha para renovar o mandato, marcava 6,3.

A pesquisa foi feita de 17 a 19 de novembro, com 11.281 eleitores, em 421 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Leônidas Cristino é investigado pela Polícia Federal



Leônidas Cristino, prefeito de Sobral e confirmado como titular da Secretaria de Portos, é citado numa apuração que analisa esquema de fraudes em licitação.

O prefeito de Sobral, José Leônidas de Menezes Cristino (PSB), é investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal (MPF) por crime de responsabilidade à frente do cargo. Segundo o inquérito policial nº 2.073, de 2008, que tramita na 18ª Vara da Justiça Federal no Ceará, o chefe do Executivo municipal teria descumprido uma ordem judicial e também não apresentou motivos para a recusa. A Procuradoria da República da 5ª Região apura um esquema de fraudes em licitação na área de construção civil.

Em novembro, a procuradora Isabel Guimarães Lima, de Pernambuco, solicitou ao delegado da Polícia Federal no Ceará, Carlos André, a prorrogação das investigações por mais 90 dias. Segundo o documento, a dilatação do prazo — já houve outras cinco — fez-se necessária para permitir a continuação das investigações. O inquérito nº 2.073 tramitava desde novembro de 2008 na 18ª Vara Federal da Justiça Federal. Entretanto, em agosto deste ano, o desembargador Francisco Wildo Lacerda Dantas determinou, com base em resolução recente do Conselho Federal de Justiça, que as apurações tramitassem diretamente entre a PF e o MPF. O processo só volta para a Justiça quando houver indiciamento. Leônidas ainda não figura como réu neste processo.

O procurador do município, José Clito Carneiro, afirma que recebeu ofício da PF para que Leônidas prestasse esclarecimentos sobre a contratação de uma empresa de construção. Porém, o prefeito só poderá comparecer em fevereiro. “Ele foi chamado na condição de testemunha. Não tem envolvimento com o caso”, disse. Segundo Clito, uma construtora contratada pela prefeitura emitiu notas vencidas em outros municípios.

Gosto
Leônidas chegou à prefeitura de Sobral em 2004, pelas mãos do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), amigo de infância. Ele sucedeu Cid Gomes que, à época, queria indicar para o cargo o secretário de saúde Carlos Hilton. A trajetória profissional do engenheiro, filho de um topógrafo, foi voltada para estradas. Até que Ciro o convidou para chefiar a supersecretaria, durante sua gestão à frente da prefeitura de Fortaleza. A partir daí, Leônidas, antes visto como técnico, tomou gosto pela política. Foi, durante dois mandatos, deputado federal. No primeiro, estava no PSDB. Depois, no PPS. Na Câmara, não teve atuação de destaque. Apresentou 11 projetos de lei. A grande maioria foi arquivada. Os temas das propostas foram educação e trânsito. Um exemplo: a obrigatoriedade da impressão de mensagens educativas sobre normas de trânsito em embalagens de fósforos.

Com a saída de Leônidas Cristino, quem assumirá a prefeitura de Sobral é o vice-prefeito Clodoveu Arruda, do PT, marido da secretária de Educação do estado, Isolda Cela.

Informações do Jornal Correio Brasiliense:
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2010/12/22/interna_politica,228876/indicado-por-ciro-gomes-para-a-secretaria-de-portos-e-investigado-pela-pf.shtml

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

VEVEU NÃO TERA PROBLEMAS EM ASSUMIR

Fizemos uma minuciosa avaliação jurídica e observamos que Veveu não terá problemas em assumir a Prefeitura Municipal de Sobral

Leônidas tem carreira que começou em gestão de Ciro Gomes


Leônidas Cristino foi eleito deputado federal por duas vezes.
Também atuou como secretário do Estado do Ceará.

Anunciado nesta terça-feira (21), pela presidente eleita Dilma Rousseff, como titular da Secretaria Especial de Portos, José Leônidas de Menezes Cristino (PSB) é o atual prefeito de Sobral (CE).

É formado em engenharia civil pela Universidade de Fortaleza, em 1982, e se dedicou à engenharia rodoviária. Em 1989, ingressou no serviço público como diretor de operação na gestão do então prefeito de Fortaleza, Ciro Ferreira Gomes.

Entre 1991 e 1994, foi secretário dos Transportes, Energia, Comunicações e Obras do Estado do Ceará. Em 1995 elegeu-se deputado federal, e entre 1999 e 2002 foi secretário de Obras da Prefeitura de Sobral.

Em 2002, Leônidas Cristino foi novamente eleito deputado federal. Dois anos depois, ele foi eleito prefeito de Sobral e renunciou ao mandato de deputado para assumir o comando do executivo. Atualmente, cumpre o segundo mandato.

Leônidas Cristino nasceu em Coreaú (CE), no dia 3 de junho de 1957, é casado com a advogada Maria Esther Frota Cristino, com quem tem dois filhos José Leônidas de Menezes Cristino Filho e Larissa Maria Frota Cristino.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

JOÃO ALBERTO PODE SER O PREFEITO DE SOBRAL. VEREADORES DE SOBRAL PODEM NÃO EMPOSSAR O VICE



Se for confirmado a situação do (ex) vice-prefeito, Veveu Arruda, que assumiu a Superintendência do IPHAN, João Alberto pode ser o novo prefeito de Sobral. Olha o que diz a Lei Orgânica de Sobral, verbis:

Art. 61 - Em caso de licença, impedimento do Prefeito e Vice Prefeito ou vacância dos respectivos cargos, seráchamado ao exercício do cargo de Prefeito o Presidente da Câmara Municipal (Alterado pela emenda a Lei Orgânica 020/2009, de 01 de setembro de 2009).

Como dissemos, Veveu descumpriu o disposto previsto no art. 62, inciso II da Lei Orgânica e com isso perdeu o cargo de vice prefeito, verbis:

Art. 62 - O Prefeito e o Vice-Prefeito não poderão desde a posse, sob pena de perda de mandato:
II - aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado, inclusive os de que seja demissível "ad nutum", da administração pública Direta e Indireta, ressalvada a posse em virtude de concurso público, aplicando-se nesta hipótese, o disposto no Artigo 38 da Constituição Federal;

QUESTÃO JURÍDICA PODE IMPEDIR QUE VEVEU ASSUMA PREFEITURA DE SOBRAL

O então vice-prefeito de Sobral, Clodoveu Arruda, pode não assumir a vaga de vice-prefeito. Explica-se. Veveu chegou a assumir a superintendência do IPHAN e, quando Leônidas Cristino se ausentou, ele não assumiu a vaga deixada, garantindo ao Presidente da Câmara, Hermenegildo, assumisse a vaga. Com isso Veveu teria perdido a sua vaga como vice-prefeito.
Vejamos o que diz a Lei Orgânica do Município, verbis:
Art. 62 - O Prefeito e o Vice-Prefeito não poderão desde a posse, sob pena de perda de mandato:
II - aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado, inclusive os de que seja demissível "ad nutum", da administração pública Direta e Indireta, ressalvada a posse em virtude de concurso público, aplicando-se nesta hipótese, o disposto no Artigo 38 da Constituição Federal;
Como Veveu assumiu a Superintendência do IPHAN, temos como certo que ele perdeu o mandato de vice-prefeito e que quem deve assumira a Prefeitura de Sobral é João Alberto.
Vamos aguardar.

FOLHA DE SÃO PAULO CONFIRMA LEÔNIDAS COMO MINISTRO



A presidente eleita, Dilma Rousseff, definiu na tarde desta terça-feira (21), em reunião com líderes do PSB, que o partido ficará com dois ministérios: Integração Nacional e Secretaria de Portos. A decisão exclui a pasta de Aeroportos, como era inicialmente esperado.

A área da aviação civil permanecerá no Ministério da Defesa. Dilma prometeu, entretanto, incluí-la na pasta de Portos futuramente. Ela está reunida com o ministro Nelson Jobim, que continuará na Defesa.

A eleita acolheu as indicações do PSB de nomear Fernando Bezerra Coelho para o Ministério da Integração Nacional e o prefeito de Sobral (CE) Leônidas Cristiano para Portos.

Com essas indicações, Dilma ainda precisa confirmar três dos 37 ministérios. O deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) foi chamado hoje para a Secretaria de Relações Institucionais, e o ministro Jorge Hage, para permanecer na Controladoria-Geral da União.

O acerto de Dilma com o PSB deixou de fora o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), que chegou a pedir o comando da Saúde --que acabou nas mãos de Alexandre Padilha.

Segundo líderes do partido, a ausência do deputado no primeiro escalão da petista foi uma decisão pessoal. Ciro teve sua candidatura à Presidência rejeitada pelo PSB a favor da aliança com Dilma.

CONFIRMADO: LEÔNIDAS SERÁ MINISTRO DOS PORTOS

Está confirmado a indicação de Leônidas Cristino, prefeito de Sobral, para Ministros do Portos do Governo Dilma.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

AMIGOS DA PRAÇA DA SÉ FAZEM CONFRATERNIZAÇÃO






Conforme divulgado no blog do Bené Fernandes, os amigos da Praça da Sé se reuniram pela 11ª vez e fizeram uma grande festa de confraternização. Ficou lembrado também a ausência do amigo Júnior-Paredão (falecido). A festa contou com a presença de amigos e convidados, inclusive vários membros da imprensa.
Os organizadores do evento agradecem a todos os presentes, em especial os patrocinadores, Posto Princesa (Jander Loiola), Click Cadeira (Pompom), Trevo do Norte (Marlon), Rações Golfinhos, Vereador Paulo Vasconcelos, Promoshow (Maninho).

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

REVIRAVOLTA: TSE TIRA DO CARGO NOVAMENTE PREFEITO DE SANTA QUITÉRIA

Por maioria de votos, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reduziu os efeitos da liminar concedida pelo ministro Marcelo Ribeiro e determinou que o prefeito de Santa Quitéria (CE), Francisco das Chagas Magalhães Mesquita, seja novamente afastado do cargo. De acordo com a decisão dos ministros, a eleição suplementar marcada para o próximo domingo (19) continua suspensa, mas o presidente da Câmara Municipal deve assumir o cargo de prefeito provisoriamente.

Na decisão liminar, o ministro Marcelo Ribeiro determinava que Francisco das Chagas retornasse ao cargo e suspendia as eleições para substituí-lo. A decisão do ministro Marcelo Ribeiro foi publicada ontem, mas o Ministério Público Eleitoral questionou por meio de recurso.

O relator não concordou com as provas levadas em conta pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) para cassar o mandato do prefeito por abuso de poder econômico e compra de votos. Isso porque o TRE cearense considerou como prova a apreensão de veículo do então candidato a prefeito, na véspera da eleição, com material de propaganda, envelopes bancários com cerca de R$ 14 mil em dinheiro, lista de nomes de eleitores, entre outros.

Para o ministro Marcelo Ribeiro, as provas não eram suficientemente robustas. “O conjunto da obra é, de fato, suspeito. Mas a prova de oferecimento de benefício a alguém com intuito de obter-lhe o voto, não existe nos autos", disse.

Contrário a esse entendimento, o ministro Marco Aurélio argumentou em Plenário que as provas foram analisadas pelo TRE-CE e consideradas suficientes para concluir por compra de votos.

O voto do ministro Marco Aurélio foi para aceitar o recurso do MPE no sentido de, além de afastar o prefeito, manter as eleições suplementares. No entanto, ele aderiu ao voto do ministro Arnaldo Versiani que, apesar de afastar o prefeito, manteve a suspensão das eleições até que seja analisado eventual recurso do prefeito contra a condenação.

Esse entendimento também foi acompanhado pelos ministros Aldir Passarinho Junior, Hamilton Carvalhido e pela ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha.

O ministro Ricardo Lewandowski acompanhou o relator.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Ministro reconduz prefeito de Santa Quitéria (CE) ao cargo e suspende novas eleições

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Marcelo Ribeiro (foto), em decisão liminar, determinou que Fabiano Magalhães de Mesquita retorne ao cargo de prefeito de Santa Quitéria (CE). O ministro também suspendeu as eleições suplementares no município, que estavam marcadas para o próximo domingo (19). A decisão vale até o julgamento definitivo do caso pelo Tribunal.

O próprio Fabiano Magalhães de Mesquita foi o autor do pedido. O prefeito afastado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Ceará por abuso de poder econômico e compra de votos alega “ausência de demonstração da ocorrência de captação ilícita de sufrágio”.

O TRE concluiu pela compra de votos em razão da apreensão, na madrugada do dia 04 de outubro de 2008, véspera do pleito, de um veículo de Fabiano Magalhães de Mesquita, então candidato a prefeito, com material de propaganda, envelopes bancários, cerca de R$ 14 mil em dinheiro, “lista de nomes de eleitores, benesses, números de votos e valores interrelacionados na valise apreendida”.

Intenção

Em sua decisão, o ministro Marcelo Ribeiro mencionou que consta na decisão do TRE “de que nenhum dos eleitores confirmou a compra de votos”. Afirma que não foi comprovada a utilização do material e do dinheiro apreendido para a compra de votos, “tendo a Corte Regional considerado suficiente a intenção da prática ilícita”.

O ministro citou a jurisprudência do TSE no sentido de que “a aplicação da penalidade por captação ilícita de sufrágio, dada sua gravidade, deve assentar-se em provas robustas, e não em vagos indícios e presunções”. Ademais “não se observa, ao menos em princípio, a existência de quaisquer dos núcleos do artigo 41-A da Lei 9.504/97, que são: doar, oferecer, prometer ou entregar ao eleitor bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza”.

Ribeiro citou a decisão da Corte no RCED 688, quando os ministros entenderam que "a existência de nomes e soma em dinheiro, dividida em pequenos montas, bem como de autorização para abastecimento de veículos em dia de eleição, indicam, sim, a ocorrência de irregularidade, mas não provam que ilícito teria sido praticado, se é que algum tenha sido cometido".

Para o ministro, "o conjunto da obra é, de fato, suspeito. Mas a prova de oferecimento de benefício a alguém com intuito de obter-lhe o voto, não existe nos autos". Com esses argumentos, Marcelo Ribeiro deferiu a ação cautelar suspendendo a cassação de Fabiano Magalhães de Mesquita e as eleições marcadas para o próximo dia 19, até o julgamento de recurso especial pelo TSE.

DO BLOG. E AGORA QUEM PAGA AS DESPESAS DO CANDIDATO

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

LUIZIANNE DISSE QUE ELEGIA ATÉ UM POSTE.... E ELEGEU

A prefeita Luizianne Lins disse que conseguiria eleger até um POSTE para presidente da mesa diretora da Câmara Municipal de Fortaleza. Pois ela conseguiu mesmo. Alguns radialistas de Sobral diziam que ela perderia as eleições por causa dessas declarações. Engano dos radialistas. Apesar de Luizianne não ter conseguido eleger a sua própria mãe para deputada estadual, a lôra mostrou que tem força.
Com 26 votos contra 14 de seu oponente, Acrísio Sena (PT) foi eleito presidente da mesa diretora da Câmara Municipal de Fortaleza.
Apoiado por Luizianne Lins, o candidato venceu o também petista e então presidente da Casa, Salmito Filho.
1° vice-presidente – Adail Júnior (PRP)
2º vice-presidente – Carlos Mesquita (PMDB)
1º secretário - Luciram Girão (PSL)
2º secretário - Casimiro Neto (PP)
3º secretário - Antônio Henrique (PTN)

PADRE ZÉ PARABENIZA GUARANY DE SOBRAL



O deputado federal Padre Zé Linhares parabenizou o Guarany de Sobral pela consquita do campeonato brasileiro da série D. Veja o conteúdo do discurso:

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, o Guarany Sporting Club, da querida cidade de Sobral, acaba de realizar um feito inédito: ao vencer o Campeonato Brasileiro da Série D, tornou-se o primeiro clube de futebol cearense a conquistar um título nacional. Cumprimento, por isso, todos os seus dirigentes, comissão técnica, jogadores e torcedores, que tão bem souberam honrar os 72 anos de tradição do clube conhecido, carinhosamente, como “Cacique do Vale”.

O Guarany foi fundado em 2 de julho de 1938, e sua primeira diretoria tinha como presidente de honra o padre José Aloísio Pinto. Nos anos 60, já como clube profissional, ganhou a Divisão de Acesso e estreou no Campeonato Cearense.

Na década de 80, pelas boas colocações obtidas no estadual, o Guarany disputou a Taça de Prata e o Campeonato Brasileiro. Mais tarde, com a reorganização das competições nacionais, participou das Séries B e C, antes de passar por uma crise que o levou ao rebaixamento no futebol cearense.

Desde 2009, de volta à 1ª divisão estadual, o Cacique do Vale conseguiu mobilizar outra vez sua torcida, e definiu como meta a realização de uma grande campanha na Série D nacional. Nas fases decisivas da competição, em confrontos diretos, o Guarany superou o Vila Aurora, de Mato Grosso, o Araguaína, do Tocantins, e o América, do Amazonas.

O jogo final, no Estádio do Junco, atraiu mais de 10 mil torcedores, que vibraram com a goleada de 4x1 sobre o América e, a seguir, levaram a festa às ruas de Sobral. O Guarany já havia assegurado antecipadamente o acesso à Série C do futebol brasileiro para o próximo ano, na qual certamente continuará honrando nossa cidade e todo o Estado do Ceará.

Reitero, portanto, meus cumprimentos aos responsáveis por essa grande conquista, a maior da história do clube e do futebol cearense, e compartilho a alegria de todos os sobralenses. Faço votos de que o Guarany Sporting Club, nosso Cacique do Vale, continue em sua trajetória ascendente, enfrentando, com sucesso, os grandes desafios que terá em 2011.

Parabéns, Guarany!

Parabéns, Sobral!

Muito obrigado.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Câmara rejeita projeto de legalização dos bingos no Brasil



A Câmara dos Deputados rejeitou nesta terça-feira (14) o projeto que pedia a legalização dos bingos, 212 parlamentares votaram contra a liberação, 144 votaram a favor e cinco deputados se abstiveram. O jogo de bingo está proibido no Brasil desde 2004.

O projeto de lei, do deputado João Dado (PDT-SP), regulamentaria a exploração dos jogos de bingo no Brasil.

Os deputados contrários aos bingos afirmaram que o jogo sempre esteve ligado à lavagem de dinheiro. Ivan Valente, líder do PSOL, afirmou que “a prática dos bingos estimula o crime organizado, a lavagem de dinheiro, o uso de laranjas, além de ser criticada pelo Ministério da Saúde por se constituir um vício”. Já Marcelo Itagiba (PSDB) questionou que se os bingos fossem aprovados, deveriam estar atrelados à Caixa Econômica, que é quem explora esses jogos, e não a empresários.

A favor da liberação dos bingos, encaminharam os votos das suas bancadas o PMDB, PTC, o PR, o PP, o PTB, o PDT e o PMN. O PSDB, o DEM, o PPS, o PSOL e o PHS orientaram seus parlamentares a votar contra à legalização. O PT, o PSB, o PCdoB, o PSC e o PV liberaram os seus parlamentares para votarem como quiserem.

O projeto também previa que 70% do que fosse jogado nos bingos teriam de retornar aos apostadores na forma de prêmios. Dos 30% restantes, as empresas teriam de destinar royalties de 14% para a saúde e 3% a serem divididos entre a cultura, segurança e esportes, além de impostos municipais, Estaduais e Federais.

No projeto ainda há um limite de 300 metros para a instalação de casas de bingo nas proximidades de escolas e templos religiosos. As cidades também podem ter uma casa de bingo a cada 150 mil habitantes.

As casas ainda teriam de dar R$ 20 mil mensais para um fundo de fiscalização das atividades. De acordo com Paulinho, a legalização dos bingos deve gerar 300 mil novos empregos e cerca de R$ 7 bilhões em impostos para o governo.

A estreia de Tiririca na Câmara

O PR está anunciando com toda a pompa: Tiririca visitará amanhã pela primeira vez a Câmara. Será ciceroneado por Sandro Mabel, líder do partido na Casa. O PR também informa o roteiro do deputado mais votado do Brasil. Tiririca chegará pela porta principal da Câmara, de onde partirá para um tour pelo Congresso e também fará visitas a outros parlamentares.

Se fosse eleição para presidente da Câmara Municipal de Sobral, Tiririca seria o presidente da Seção que elegeria a nova mesa diretora.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

TJ considera Maluf inocente em ação de frangos superfaturados

A 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) julgou nesta segunda-feira (13) improcedente uma ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público contra o deputado Paulo Maluf (PP-SP), por uma suposta compra superfaturada de frangos para a Prefeitura de São Paulo, em 1996, segundo a assessoria de imprensa do TJ-SP. A mesma Câmara havia condenado Maluf em abril deste ano.

O deputado concorreu nas eleições deste ano com registro indeferido, com base na Lei da Ficha Limpa, e obteve quase 500 mil votos, número suficiente para ser reeleito. Maluf teve o registro negado por causa da condenação ocorrida em abril.

A assessoria do deputado diz que, com a decisão desta segunda-feira, ele será diplomado na sexta-feira (17). Ainda segundo a assessoria, ao saber da decisão do tribunal de São Paulo, o deputado afirmou que “Paulo Maluf confiou e sempre confia na Justiça”.

Eduardo Nobre, advogado de Maluf, disse que havia entrado com recurso no TSE contra a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo de negar a candidatura ao deputado. Por isso, Nobre disse que agora vai acrescentar a esse recurso a decisão da Justiça de São Paulo de absolver seu cliente. O relator do caso no TSE é o ministro Marco Aurélio Mello.

"Agora vamos informar isso [decisão do TJ-SP] no processo. Pelo último motivo da impugnação ter sido a acusação de compra superfaturada de frangos na prefeitura de SP, o ministro Marco Aurélio deve liberar o registro de candidatura ao deputado Paulo Maluf. Houve perda do motivo da cassação do registro pelo TRE de São Paulo”, afirmou Eduardo Nobre.

domingo, 12 de dezembro de 2010

GRANDE FESTA DE POSSE DO NOVO BISPO DE SOBRAL DOM ODELIR JOSÉ MAGRI



Uma multidão de aglomerou no pátio central da Catedral da Sé, em Sobral, para a solenidade de ordenação do novo Bispo de Sobral, Dom Oderlir José Magri.
A festa aconteceu debaixo de uma forte chuva que começou ás 18horas e ainda continua na cidade de Sobral. Mesmo tendo um palco montado em frente Matriz da Sé, não foi sulficiente para a solenidade acontecer completa. Os organizadores fizeram o primeiro momento fora, com a palavra do Pe. Timbó, que com a saída de Dom Fernando Saburido era o responsável pela Diocese de Sobral, depois foi a vez do Prefeito Leonidas discursar e logo em seguida o governador Cid Gomes usou a palavra. Cid e Leônidas deram as boas vindas ao novo Bispo e se colocaram a disposição para ajudar no que for possível.
A outra parte da solenidade, que seria o ritual da posse, foi feito dentro da Catedral da Sé, que devido as chuvas que ainda caem em Sobral, terminou por acontecer dentro da igreja Matriz da Sé. (Fonte blog do Bené Fernandes).

DO BLOG.

É com grande satisfação saber que Sobral conta com um novo Bispo. Éramos ovelhas sem pastor. A Diocese de Sobral vivia momentos difíceis e os fiéis católicos sofriam com a ausência de um "líder esperitual" para nos defender de agressões e para nos acolher nas provações.
Dom Odelir seja bem vindo. Estaremos à sua disposição para MISSÃO.

LUZ NO FIM DO TÚNEL: CIRO PODE SER INDICADO COMO MINISTRO

Em conversa com o presidente do PSB, Eduardo Campos, que entrou pela madrugada de ontem, a presidente eleita, Dilma Rousseff, ressuscitou a ideia de levar o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) para o primeiro escalão na cota do PSB.

No desenho proposto por ela, Ciro voltaria para a Integração Nacional e Fernando Bezerra, que Campos havia escolhido para essa pasta, assumiria a Secretaria de Portos.

Caso Ciro recusasse a oferta, Bezerra ficaria com a Integração, deixando Portos para Beto Albuquerque.

A volta do nome de Ciro, que está no exterior, levou a uma série de conversas internas no PSB ontem. A definição deve ficar para quarta-feira

sábado, 11 de dezembro de 2010

LIMINAR GARANTE SÁVIO PONTES NO MANDATO

Obtivemos informações de que uma decisão judicial concedida pelo Tribunal de Justiça no dia de ontem (10/12/2010) manteve o prefeito de Ipú, Sávio Pontes, no mandato.
É minha gente, Poder é assim. Como diria do filósofo: "Água de Serra abaixo, fogo de morro acima, pau duro e poder, quem se meter se corta".

JUSTIÇA AFASTA PREFEITO DE IPU POR FRAUDES EM LICITAÇÕ

O prefeito do município de Ipu, Sávio Pontes (PMDB), foi afastado do cargo nesta sexta-feira (10), acusado de envolvimento em fraudes de licitações. A juíza Suyane Macedo de Lucena deferiu a solicitação do Ministério Público Estadual (MPE) e a decisão é válida até o fim das investigações. Pontes, no entanto, não terá prejuízo em sua remuneração. Os membros da Comissão Municipal de Licitações também foram afastados: Eucélio Fernandes de Mesquita, José Wagner Costa e Domingos Rodrigues. O vice-prefeito, Dr. Luiz Gonzaga, será empossado pelo atual presidente da Câmara Municipal. O documento de oito folhas ressalta que a empresa Construcon Comércio e Construções Ltda, de capital declarado em R$ 20 mil, foi constituída cinco dias antes da licitação para construção de unidades sanitárias. Ela venceu cinco concorrentes e recebeu o primeiro depósito 15 dias depois, no valor de R$ 1.580.943,00. Além das licitações, também é investigada a "exoneração de todos os titulares de funções gratificadas, contratados e de cargos comissionados das diversas unidades administrativas do executivo, inclusive os secretários municipais, secretários adjuntos e o presidente da autarquia de trânsito".
Fonte: Ceará agora

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Zé Vytal no ataque: Falta medicamento para o povo



O vereador de Sobral, José Vytal (PSB) usou a tribuna da câmara de vereadores na sessão de terça-feira (07) para fazer algumas criticas a Secretaria de Saúde de Sobral.
Segundo o vereador 'aliado' do prefeito, os medicamentos de alguns pacientes cadastrados na Central de Atendimento Farmacêutico (CAF) estão suspensos, e os mesmos estão correndo sérios riscos de comprometerem seus tratamentos neste mês de dezembro.
Zé Vytal lembrou que 'não é porque estamos no mês de dezembro que vai faltar medicamento'.
A denúncia do vereador compromete a adminitração do Secretário de Saúde de Sobral.

PADRE ZÉ PEDE TORRE DE TELEFONIA CELULAR PARA TAPERUABA



O Deputado José Linhares apresentou no Plenário da Câmara dos Deputados a Indicação nº6717/2010, ao Senhor Ministro das Comunicações e ao Presidente da ANATEL, reivindicando a instalação de uma torre de transmissão de telefonia celular, no Distrito de Taperuaba.

O Parlamentar argumentou que: “Taperuaba, é distante 68 km da sede, possui cerca de 7.200 habitantes, com acesso de asfalto para as CE's 175 e 020. Tem grande desenvolvimento educacional e cultural. Dispõe de ensinos fundamental e médio, Campos Avançado da Universidade Vale do Acaraú (Formação Especial de Professores e Pós-Graduação em Psico-Pedagogia), Espaço Cultural, onde são trabalhados vários cursos, oficinas, e são mapeadas e desenvolvidas as diversas atividades praticadas pelo seu povo ao longo das gerações.”

Conclui a proposição dizendo que: “como representante do município de Sobral na Câmara dos Deputados, rogo uma resposta da ANATEL, que tem como uma de suas atribuições, implementar a política nacional de telecomunicações e em observância a este princípio acreditamos que o Estado deve realizar seu papel de levar os serviços essenciais a todas as regiões do Brasil, por mais longínqua que seja”, enfatiza o deputado.

Os órgãos executivos agora devem se manifestar, dando os devidos encaminhamentos para que Taperuaba, brevemente, obtenha a tão augurada Torre de Telefonia Celular.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

GOVERNO DILMA SERÁ PAULISTA. E COMO FICA O NORDESTE?

Dilma terá o mais paulista dos governos desde, creio, o fim da República Velha. Estes são os nomes confirmados até agora:
- Antonio Palocci (Casa Civil) - São Paulo;
- Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) - São Paulo;
- Guido Mantega (Fazenda) - São Paulo;
- Miriam Belchior (Planejamento) - São Paulo;
- José Eduardo Cardozo (Justiça) - São Paulo;
- Alexandre Tombini (Banco Central) - Rio Grande do Sul.

É aí que está o núcleo duro do governo. No grupo, encontra-se aquele destinado, por mais que se diga o contrário, a atuar como uma espécie de primeiro-ministro: Antonio Palocci. E não será à moda Zé Dirceu, quando a pasta concentrou um monte de funções administrativas. Justamente porque a Casa Civil está com os ombros bastante leves, o ministro poderá se dedicar à articulação política, ao diálogo.

Saibam: não há decisão da qual Palocci já não participe hoje ativamente — em consonância, sempre!, com Lula. Se Dilma tiver de se afastar por causa de uma gripe forte ou, sei lá, da dengue — que teve tanto progresso na gestão de José Gomes Temporão —, quem governa é o chefe da Casa Civil. Quando a presidente viajar para o exterior, Temer assume a cadeira, mas o petista governa. A Casa Civil ficou mais enxuta, mais desidratada, justamente para que Palocci fique mais livre para fazer política. A Casa Civil volta a ter o seu antigo contorno.

Por que isso?
O que significa essa composição de governo? Com exceção de Tombini, que só entrou aí por escolha de Palocci, com aval de Mantega, esse é o grupo de confiança de Lula. Trata-se de um governo constituído para qualquer eventualidade, qualquer mesmo… Tanto paulista no núcleo decisório atende ainda a uma outra dinâmica.

Os petistas estão decididos a tomar São Paulo. O estado será o palco da disputa eleitoral de 2014. O PT nunca venceu ali uma disputa eleitoral presidencial e tem perdido sucessivas disputas para o Palácio dos Bandeirantes — nas duas últimas, foi derrotado no primeiro turno. Caso Aécio Neves seja candidato à Presidência pelo PSDB (ou por outra legenda; sabe-se lá o que pode resultar de uma eventual reforma política), já se sabe para onde vai Minas. A grande batalha será travada em Piratininga.

E isso evidência quão errado, destrambelhado mesmo, é investir na desorganização e no racha da oposição ao petismo no estado. Quem viver verá.

Por Reinaldo Azevedo

E como fica o nordeste? Ora o nordeste, para os petistas, é apenas um curral eleitoral necessário para o comprometimento das ambições crueis do Partido dos Trabalhadores. Para cá basta o Bolsa Família, um emprego de segundo escalão para o Ciro Gomes e alguns parcos recursos para os Estados e uns poucos municípios. Vamos aguardar...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ceará sem voz. Ciro fora do governo Dilma



A esperteza já fez muitas vítimas. Algumas delas, entre os próprios espertos. O estilo com que um agente político se porta diante de aliados e adversários condiciona em grande parte o modo como estes se relacionam com ele.
Foi de um dos mais qualificados colaboradores deles mesmo que partiu a melhor definição sobre o estilo político dos irmãos Cid e Ciro, cuja principal característica sempre foi a ambiguidade: “é uma faca de dois Gomes”.
Depois de muito os prover com notáveis ganhos, o feitiço cobra agora a fatura ao impor aos feiticeiros o ônus de suas oferendas: não parece haver mais espaço para Ciro Gomes no condomínio do governismo lulista.
Ao afastar-se dos “liberais” tucanos sem alinhar-se com a “esquerda” petista, Ciro seduziu o país como uma liderança emergente que projetava para si uma imagem compatível com a expectativa de grande parcela dos eleitores.
Surgia como alguém cuja missão seria colocar o interesse público acima das querelas nefastas de políticos profissionais e núcleos corporativos. Alguém capaz de olhar para a nação, antes de mirar o interesse dos seus pares.
O mais é história, vocês sabem. Contido pelas limitações de seu horizonte existencial, deixou escorrer entre os dedos a boa fortuna para, logo adiante, abdicar de uma patrimonial potência: a afiada língua e sua independência.
Ciro vendeu seus bens “na baixa”. Para Lula, saiu barato o garrote, atado em alguns cordões onde pendurar um esquema mínimo de influência. A verdade é que o presidente “botou na roda” o oportunismo de Ciro.
Agora, notícias dão conta de que está completo o serviço com a exclusão de seu nome do primeiro escalão do governo que inicia. O nome que isso tem, não quero pronunciar aqui – meus três leitores reagem a termos chulos.
Mesmo porque, tais termos são profusos na prosopopéia de Ciro Gomes, não lhe faltando, portanto, meios para que ele mesmo diga com todas as letras a natureza da operação que atingiu em cheio o seu já decrescente prestígio.
Mas basta observar a votação obtida pela presidente eleita no Ceará – e perceber a relação entre tal performance e a ampla coligação formada em seu nome pelo governador, irmão dele – para entender a extensão do golpe.
Ciro não será ministro? Isso não é o mais importante. Pior, é assistir ao espetáculo de submissão explícita sem ver os cearenses que essa turma toda representa contemplados com um tratamento compatível com o apoio dado.
Digam do ex-governador Tasso Jereissati o que quiserem (eu mesmo tenho dito muito e assino sempre), mas o professor Fernando Henrique Cardoso, quando presidente da República, não levava o Ceará na conversa.
Ali, apesar de companheiros com visão comum, a relação entre apoio oferecido pelo governador e sua bancada e a contrapartida de investimentos aplicados no estado era uma evidência de todos os dias. A lista é pródiga.
Mas, agora, eu vos pergunto: sim, cadê?
Por Ricardo Alcântara,
Publicitário e poeta.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

APÓS CHAMAR JOÃO MARTINS NETO DE 'AUTORITÁRIO', CÂMARA QUER APROVAR DIPLOMA AMIGO DA SAÚDE

Não entendo os vereadores de Sobral. Uma comissão foi criada para tratar do problema da Santa Casa de Misericórdia de Sobral no qual em seu relatório reclama claramente da atitude do médico João Martins Neto fazendo pesadas denúncias sobre a saúde da Santa Casa e dos problemas enfrentadas pela população. No relatório chamou-se o referido médido de 'autoritário'. Agora os vereadores querem aprovar Diploma Amigo da Sáude ao referido médico. É contra-senso total. Absurdo.
Afinal o que pensam os vereadores? Será igual a palavra em risco n'água?

SOBRAL NÃO TEM JUIZ, DIZ ZEZÃO.

O vereador Zezão reclama da ausência de juízes trabalhando em Sobral. "Juiz quando quer faltar, falta e pronto. Se ele não estiver disposto basta ligar para o secretário e dizer que não vai e pronto, nada acontece. Salvo se os advogados representarem contra os Juízes na corregedoria". A questão Zezão é que a OAB Sobral é omissa. A 2ª Vara Civel não tem juiz titular. A exemplo da 1ª e 2ª Vara Criminal. A justiça comum de Sobral está um caos.

"Ninguém sabe que o Veveu existe", diz Zé Vytal

'Não adiante mentir, ninguém sabe que o Veveu existe', disse o vereador Zé Vytal. Ele reclamou do vice-prefeito Veveu que foi superintendente do IPHAN e nada fez para Sobral.
É Zé Vytal o pior que estão querendo indicar o Veveu para ser candidato a prefeito de Sobral. Zezão disse que Veveu não cumpre os acordos.

ZEZÃO RECLAMA DO IPHAN E DE LEI APROVADA PELA CÂMARA

O vereador Zezão fez uso da Tribuna para reclamar de Lei aprovada pelos vereadores no qual dá plenos poderes ao IPHAN para 'tirar poderes sobre o bem dos proprietários'. O jeito Zezão é mudar. Mudar a lei revogando-a. Não dá para continuar assim. Júnior Balreira acha que a legislação deve ser revista 'pois em todos os municípios que estão tombados está tudo deteriorado'. Zé Vytal lembra do centro histórico que tem problemas como no Maranhão e Salvador.
O IPHAN vem prestando um grande deserviço ao povo sobralense. O certo é tombar imóvel de forma individualmente e não toda uma área.
É Zezão, não adiante ficar só no discurso, revogue a Lei.

CONCURSO JÁ, CLAMA MARCO PRADO

O vereador Marco Prado fez uma tribuna cobrando do Prefeito de Sobral a realização de concurso público. Marco Prado reclama que a Câmara Municipal de Sobral vem aprovando sistematicamente leis autorizando ao prefeito para contratação por tempo determinado para atender necessidade temporária de excepcional interesse público. O problema é que não se sabe qual seria a "necessidade temporária" que está se tornando definitiva, havendo frustração para realização do necessário concurso público.

LUCIANO FEIJÃO LEMBRA QUE GOVERNADOR É 'MAMA NA ÉGUA'

O vereador Luciano Feijão lembrou o problema do IML com falta de servidores e funcionários. Luciano fez uma tribuna pesada contra o problema do IML de Sobral que teria sido resolvido na época do governador Lúcio Alcântara, no qual ele chegou a chamar de 'mama na égua'. Agora o problema é com Cid Gomes que é governador a 04 anos e não resolveu um simples problema de funcionário. E agora Luciano, como deve ser chamado o nosso governador Cid Gomes?

Centenário corintiano sem títulos é alvo de piadas no Twitter



O fracasso do Corinthians no ano de seu centenário virou alvo de piadas de torcedores rivais. Depois do quinto lugar no Paulistão e da queda nas oitavas de final da Libertadores, que era a obsessão do clube em 2010, a terceira colocação no Brasileirão foi a deixa para uma série de brincadeiras no Twitter.

“Perder um título é humano, perder todos é corintiano”, “Corinthians: dormiu em segundo, sonhou com primeiro, acordou em terceiro” e “Queridos amigos, não chorem, afinal de contas vocês foram campeões da Formula Truck” são algumas das piadas postadas no microblog. A palavra-chave #centernada se tornou uma das mais comentadas no Twitter em todo o mundo nesta segunda-feira.

Até alusão ao “Fantástico”, programa da TV Globo em que os atacantes pedem para ouvir uma música após marcarem três gols em uma partida, foi utilizada. “O Corinthians perdeu três campeonatos nesse ano. Pode pedir música no Fantástico” dizia uma das brincadeiras. Por fim, surgiram sugestões de que o título brasileiro teria sido comprado. “Corinthians já começa a procurar o Procon. Comprou o campeonato, mas não levou”.

Piadas à parte, por mais que o presidente Andrés Sanchez diga que o centenário corintiano só termine em 1º de setembro de 2011, é fato que o clube deixou a desejar em 2010, ano em que completou 100 anos de existência. Para a Libertadores, especificamente, a expectativa era enorme.

Garantido na competição continental desde julho de 2009, os ingressos para os jogos na primeira fase começaram a ser vendidos antes do final da temporada passada, quando nem data ou adversários estavam definidos. Já no início deste ano, foram contratados nomes de peso como Roberto Carlos, Danilo, Iarley e Tcheco.

No primeiro semestre, o Corinthians desprezou o Paulistão e foi eliminado na primeira fase. Na Libertadores, após passar sem problemas pela primeira fase, caiu diante do Flamengo em pleno Pacaembu logo no primeiro mata-mata, acabando com o maior sonho corintiano em 2010.

Restava, então, o Brasileirão para salvar o ano. O time esteve sempre entre os candidatos ao troféu e liderava a competição a três rodadas do fim. O tropeço diante do Vitória em Salvador, somado ao triunfo do Fluminense sobre o São Paulo, tirou a equipe da ponta. Para piorar, o empate com o Goiás no último domingo derrubou o clube para a terceira posição e o obrigará a jogar a pré-Libertadores em 2011.

Sina dos centenários

Passar em branco no ano do centenário não é coisa nova para os grandes clubes brasileiros.

Desde 1995, quando o Flamengo completou 100 anos, sete clubes além do Corinthians chegaram à marca centenária. Destes, apenas o Vasco, campeão da Libertadores em 1998 foi bem sucedido.

Há 15 anos, a diretoria flamenguista juntou Sávio, Romário e Edmundo no elenco, no que ficou conhecido como “ataque dos sonhos”. O time, no entanto, não ganhou nenhum título. Em 2002, foi a vez do Fluminense, que até levou o Campeonato Carioca, mas não conquistou nada de expressão nacional ou internacional. Em 2004, o Botafogo completou 100 anos e brigou até o fim do Brasileirão para não cair, a exemplo do Atlético-MG de 2008. No ano passado, o Internacional levou apenas o Gaúcho.

Mas nenhum dos casos foi mais trágico do que o do Coritiba. Em 2009, o clube amargou as eliminações no Paranaense e na Copa do Brasil. Para piorar, terminou a temporada rebaixado à Série B do Brasileirão e viu seus torcedores depredarem o estádio Couto Pereira em verdadeira batalha campal.

Eu jamais ficaria na mão do PMDB, diz Cid Gomes

"Eu gostaria, lutaria para ter o apoio do PMDB, mas faria tudo que estivesse ao meu alcance para não ficar na dependência exclusiva do PMDB. Como você faz isso? Buscando diálogo com o PSDB, que tenderia a atrair o DEM também. Não precisaria nem cooptar."

O PMDB é o partido que Ciro Gomes já disse que era um ajuntamento de assaltantes liderado pelo Michel Temer.

'Dilma terá dois anos difíceis, os anos de sacrifício', diz Cid



Ao iG, governador do Ceará endossa Aécio no comando do Senado e diz que presidenta eleita deve reduzir dependência quanto ao PMDB

Cid Gomes (PSB), governador do Ceará, apoiou a eleição de Dilma Rousseff à Presidência da República. Porém, no começo de novembro, ele lançou o nome de Aécio Neves, do PSDB, para a Presidência do Senado. Em entrevista ao iG no Palácio Iracema, sede do governo cearense, Cid disse que sua escolha é uma questão de lógica: diminuiria a dependência do PMDB e daria melhores condições para Dilma governar. “Eu jamais ficaria na mão do PMDB”, afirma.

Ele argumenta que os dois primeiros anos serão os mais difíceis para a petista porque ela terá de fazer ajustes. “Serão os anos de sacrifício”, explica. A consequência desse argumento é que Dilma precisará ter uma relação melhor com o Congresso do que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem tendo nos seus últimos anos de governo. Isso significa que ela precisará atrair a oposição com medidas práticas e o que pode ser oferecido, neste momento, é o comando do Senado. Esses argumentos, somados à capacidade de diálogo de Aécio, fazem do tucano o melhor nome para presidir o Senado no primeiro biênio da nova presidenta, afirma Cid.

Na entrevista abaixo, que faz parte de um conjunto de conversas que o iG planeja ter com governadores, Cid também comenta o preconceito contra nordestinos. Afirma que há lugares de São Paulo piores do que o sertão, diz o que espera que Dilma faça pelo seu Estado e explica as diferenças entre as quadrilhas que estão ganhando força no Nordeste e as facções criminosas de outras regiões do País.

iG - O senhor é um dos nomes do governismo que dialoga com a oposição. Os recentes problemas com o PSDB do Ceará atrapalham esse diálogo nacional?
Cid Gomes - Com os prefeitos, não faço discriminação, são programas para todos. Já sobre a política, ela não é estanque. Eu e Tasso Jereissati (senador pelo PSDB do Ceará) tivemos uma longa relação, fomos do mesmo partido durante muitos anos. O próprio PSDB fez parte do meu governo até seis meses antes da eleição. Eu tentei manter a composição com o PT, PMDB e alguns outros partidos, limitando essa composição à indicação de governador, vice e um senador. Esse era o meu desejo, deixando a indicação do outro senador vago. Eu votaria no Tasso para a outra vaga de senador. Infelizmente, isso não foi possível. Ele lançou um candidato ao governo e eu nunca mais falei com ele.

O senhor considera a relação com o PSDB rompida?
Tenho muitos amigos no PSDB nacional e estadual. Mas como vai ser no futuro? Não sei. O PSDB radicalizou muito na campanha contra mim.

Um desses amigos é Aécio Neves? Recentemente, o senhor defendeu o nome dele à Presidência do Senado.
As pessoas estão procurando chifre em cabeça de cavalo. Eu sugeri o que eu faria se estivesse no lugar da Dilma. O melhor conselho que eu posso dar a alguém é me colocar no lugar da pessoa e ver o que eu faria. O PMDB é um partido forte, com a maior bancada no Senado e a segunda maior na Câmara. A gente também sabe que o PMDB é um partido que pressiona pelos seus interesses e briga por eles. Eu jamais ficaria na mão do PMDB. Eu gostaria, lutaria para ter o apoio do PMDB, mas faria tudo que estivesse ao meu alcance para não ficar na dependência exclusiva do PMDB. Como você faz isso? Buscando diálogo com o PSDB, que tenderia a atrair o DEM também. Não precisaria nem cooptar.

Mesmo depois da troca de ataques da campanha eleitoral?
Claro que eu sei que, no âmbito nacional, essa coisa é muito forte, muito por conta da política de São Paulo. Mas mesmo em São Paulo, que é a base desse problema, agora tem o Geraldo Alckmin. Ele é uma pessoa de diálogo, diferente do José Serra, que é uma pessoa ranzinza. Ele também vai ter a responsabilidade de governar, e os Estados têm uma relação de dependência em relação ao governo federal. Aí eu chego no Aécio. Ele sempre teve um perfil de diálogo. Você pode ser oposição sem ser inimigo, sem ser doente, como é o Serra. Você está na oposição, mas pode dialogar. Tem coisas que são de interesse nacional

A capacidade de diálogo é o único alicerce do argumento do senhor?
A Dilma não tem a força popular que o Lula tem. Ela vai depender muito mais das instâncias representativas, do Parlamento, do Congresso, do que o Lula. O Lula, num determinado momento, poderia se opor às decisões do Parlamento. A Dilma tem o apoio do Lula, que vai estar solidário, mas ela não é o Lula. Quanto melhor o ambiente institucional da política, melhor para a Dilma. E isso se faz estendendo a mão para o outro lado. Os partidos vão dar o apoio de graça? Não é razoável. O Aécio é um nome respeitável. Em troca, o PSDB não precisaria aderir ao governo. Você poderia fazer uma lista de 10 pontos para o Brasil, 20 pontos. Quais são os pontos consensuais para o Brasil? Pronto, isso é factível. Sucessão é só para 2014. Seriam dois anos de paz, e justamente os dois anos que serão os piores anos dela. São os anos em que você tem de fazer os alicerces. Por melhor que esteja a situação do Brasil, serão dois anos de sacrifício.

Mas muita gente viu nessa declaração um movimento para 2014.
Isso é um negócio absurdo. Muita gente me viu cortejando o Aécio, para ele vir para o PSB. O Aécio não vai sair do PSDB, ele é a liderança emergente do PSDB, um partido muito maior do que o meu. Agora é a oportunidade dele e ele vai sair do partido? Isso não tem lógica. Ele vai vir fazer o que no PSB? O PSB é o partido dirigido pelo Eduardo Campos, nós também já estamos lá faz um bom tempo. O Aécio vai ser o terceiro do partido? Não tem a menor lógica.

A união do PMDB com outros partidos, com o objetivo de comandar a Câmara no lugar do PT,, reforçou a sua convicção?
Parecia que eu estava adivinhando.

Caso exista uma mudança na legislação, abrindo a possibilidade de deputados e senadores mudarem de partido, quanto o PSB pode crescer?
O melhor caminho de crescimento é o das urnas mesmo. A consequência natural, com mais governadores, é ter mais deputados, mas nas urnas, na votação. Aqui a gente dobrou o número de deputados do PSB. Crescemos no País todo. Em São Paulo, muito por causa da votação do Gabriel Chalita.

O que o senhor acha do Chalita?
Ele é um quadro ainda se formando na política. Tem futuro. Tive uma boa impressão dele.

Ele pode ser ministro da Educação?
Não entro na seara dos ministros. Aqui eu sou outro lado do balcão. Aqui eu estou nomeando e não faço com os outros o que não quero que façam comigo.

E o seu irmão, o deputado Ciro Gomes?
Estive recentemente com ele. Está concluindo o mandato. E é mentira que eu estou pedindo um lugar para ele no governo, quero deixar bem claro. O pessoal inventa muito. Quando não tem assunto, a imprensa inventa. Falo por experiência própria, por causa da formação do meu próprio governo aqui no Ceará.

O que o senhor espera do governo da presidenta Dilma Rousseff, em termos de benefícios para o Estado?
A Dilma é muito sensível às desigualdades sociais e regionais. O Nordeste e o Ceará são algumas das regiões com mais miséria e pobreza. Nós vamos ser beneficiados pelas políticas dela. Não tem jeito, é isso mesmo. O Nordeste tem, em relação ao Brasil, grandes desafios. A indústria siderúrgica, que é quem faz as chapas de aço para os carros, está toda no Sudeste. A planta siderúrgica está toda no Sudeste. Se você é uma montadora, você vai se instalar onde? Onde está perto da siderúrgica. Foi isso que fez com que o Sudeste se desenvolvesse. Esse é um erro estratégico, de falta de visão do País, da época de instalar a indústria de base no Brasil. O Sudeste e o Sul já tinham a riqueza de agricultura. Isso você não transfere, você não traz solo e clima para esta região. Se tivesse um estadista que pensasse o Brasil como um todo, colocaria a indústria aqui, que você pode colocar onde quiser. A riqueza do Brasil ficou toda concentrada lá.

Quais são as consequências políticas e sociais dessa concentração?
Não podemos ter dois Brasis. Algumas pessoas imaginam que podem construir um paraíso, só que a gente não tem fronteira. De vez em quando surgem essas idéias, de escolher um lugar no interior de São Paulo para criar um paraíso. Não tem conversa, invadem, vão outras pessoas atrás. Nós não temos fronteiras, não dá para barrar. Aliás, tem gente que gostaria de fazer isso, de pedir passaporte, de mandar nordestino de volta. Isso não é correto em nenhum sentido, nem pensando como brasileiro nem como ser humano. Isso é absurdo, não é humano. Não vale a pena nem comentar, não polemizo com isso.

O senhor se refere às reações contra o Nordeste por conta da eleição da Dilma?
Isso é conversa fiada. Não é verdade que a Dilma ganhou por causa do Nordeste. Existe um ranço contra o Nordeste, mas é minoria da minoria, é insignificante, e provavelmente esse sentimento contra o Nordeste não foi a motivação de todos os eleitores do José Serra, esse sentimento contra pobres, contra nordestinos. Foi de uma parte, é verdade, mas não a maioria. Esse público é insignificante. O brasileiro médio tem outra cabeça, é aberto. Quem faz esse discurso preconceituoso é uma minoria barulhenta. Quem tem coragem de escrever, de se expor, de pedir para matar um nordestino afogado, isso obviamente provoca uma reação. Mas isso é minoritário, é uma minoria desprezível. Pobreza e miséria tem em todo lugar do Brasil. Há lugares em que tem mais. A periferia de São Paulo pode ser pior do que o sertão.

No começo de novembro, uma quadrilha explodiu um banco no interior do Ceará. Em que essas quadrilhas são diferentes das facções de outros Estados do País?
Aqui o crime é interestadual, é mais do que uma facção criminosa local. São quadrilhas que circulam na Paraíba, Pernambuco, Piauí, Maranhão. Eles se movimentam de acordo com a intensidade da repressão. Começou a ter muita coisa aqui no Ceará. Identificamos as áreas e fomos para cima, especialmente no interior. Durante o trabalho de inteligência, descobrimos que as quadrilhas se movimentam pelos Estados todos.

Eles são do Nordeste ou vêm de outras regiões?
Pelas informações que tenho, esses grupos não têm ligação com Rio e São Paulo. São grupos nordestinos. Pode ter um ou outro, claro, mas não é o coração do negócio. São vários grupos promovendo ações em vários Estados, passando de um Estado para o outro. São quadrilhas formadas por gente de vários Estados, com informantes em vários locais, e muito bem articuladas. Essas quadrilhas, diferente da facção de São Paulo, não têm um comando único. São quatro ou cinco grupos, que agem sempre do mesmo jeito. Um mais com dinamite, por exemplo, o que é uma coisa maluca porque eles dinamitam tudo, inclusive o dinheiro. Outros grupos fazem sequestro, pegam o gerente do banco, o parente do gerente do banco. Eu defendo que tem de ter um plano nacional de segurança. O Brasil às vezes tem o lobby corporativo, aumentar o salário dos policiais. Claro que isso é importante, mas não é só isso. O que tem de fazer é esse plano e ter algumas iniciativas da União. De quem é a responsabilidade de impedir a importação de droga? Essa é função da Polícia Federal. Ela pega? Pega, mas está aquém do que deveria fazer. Além disso, não deveria ser só na fronteira, mas na cadeia toda, pegando até o pequeno.

Aécio defende que Serra coordene refundação do PSDB



Durante almoço em São Paulo, lideranças tucanas discutiram atualização do programa do partido


O senador eleito por Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) defendeu nesta segunda-feira que a reestruturação que propõe para o partido seja coordenada por lideranças da velha guarda tucana. Entre os integrantes do grupo, poderia estar José Serra, candidato do PSDB à Presidência derrotado nas últimas eleições.

A ideia de incluir Serra no comando da refundação do PSDB partiu de Aécio e tem o apoio do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin. “O nosso programa foi construído em cima de uma realidade que não é mais a do Brasil. Precisamos de uma reconstrução do projeto do programa partidário com as principais lideranças do partido, como o presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-governador José Serra, e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Sugeri até que eles possam coordenar tudo isso”, afirmou o senador mineiro.

FHC é presidente de honra do partido. Serra e Tasso foram derrotados nas últimas eleições e estão sem mandato. A tese de Aécio é a de que o partido precisa reescrever suas diretrizes e propostas. O mineiro almoçou nesta segunda com Geraldo Alckmin em São Paulo e, no cardápio, estavam detalhes sobre a atualização do PSDB.

Na saída de uma tradicional cantina italiana no centro da capital paulista, Aécio e Alckmin mostraram um discurso afinado. “Nossa unidade é muito fácil, muito natural. Essa disputa que volta e meia se lê nos jornais entre o PSDB de Minas e de São Paulo só existe na cabeça de uma ou outra figura de menor importância”, disse o senador. “Somos um conjunto de pessoas que pode pensar de forma diferente sobre este ou aquele aspecto, mas que vão estar unidas no fortalecimento do partido e na construção de um projeto para o Brasil”.

Alckmin foi na mesma direção: “Não há nenhuma divisão. Estamos unidos para trabalhar pelo Brasil e fortalecer o PSDB. Aécio é um amigo querido e estaremos juntos para ajudar a organizar o partido”.

Concordância - A teoria de Aécio de refundar o PSDB tem sido rejeitada por alguns líderes tucanos. Alckmin, no entanto, demonstrou publicamente a sintonia com Aécio. Questionado se discordava da ideia, o governador respondeu: “Não discordo, acho que é importante. Nós vivemos momentos diferentes. O partido foi fundado na década de 80 e hoje estamos em outro momento. É importante atualizar o programa partidário para fazermos uma oposição inteligente”.

O senador Aécio Neves passa o dia em São Paulo e grava, nesta tarde, uma participação em um programa de TV. Apesar de estarem em um restaurante italiano, Aécio e Alckmin dividiram uma travessa de pescada grelhada com legumes. Cada um tomou uma garrafa de água sem gás. O convite para o encontro partiu do mineiro, mas a conta foi paga por Alckmin.

Craque KAKÁ e esposa deixam igreja evangélica.



O jogador do Real Madrid Kaká e sua mulher Carolina Celico, que por muito tempo foram ligados à Igreja Renascer em Cristo, dos bispos Estevam e Sonia Hernandes, romperam com a igreja, informa a edição desta semana da revista Veja.
Caroline disse à revista que o tempo dela na Renascer "acabou" e que pode afirmar é que sua "busca constante é somente por Deus". Ela não quis explicar os motivos da decisão. Ainda segundo a reportagem, Kaká ligou pessoalmente para Estevam Hernandes para confirmar o desligamento, alegando "motivos pessoais" para o rompimento.
Polêmicas A Renascer está envolvida em diversas polêmicas. No ano passado, a Justiça Federal em São Paulo condenou Estevam e Sonia Hernandes a quatro anos de prisão pelo crime de evasão de divisas.
Em janeiro de 2007, eles chegam a Miami, nos EUA, com cerca de US$ 56 mil escondidos em uma bolsa, foram presos e condenados pela Justiça americana. Em janeiro de 2009, o teto da antiga sede da igreja em São Paulo desabou, deixando sete mortos.
Nestas ocasiões, Kaká sempre manifestou publicamente apoio ao casal fundador da Renascer.

sábado, 4 de dezembro de 2010

JOSÉ SERRA QUE SER PRESIDENTE... DO PSDB



Entre uma viagem e outra ao exterior, José Serra continua fazendo política. No front tucano, rejeita a ideia de virar presidente da insípida Fundação Teotônio Vilela e trabalha para tentar presidir o PSDB. Mas, por enquanto, ninguém vai arrancar dele uma declaração pública sobre isso. Serra tem operado também na seara do DEM. Segundo o senador José Agripino (DEM-RN) contou aos mais próximos, Serra lhe telefonou dando força para que aceite ser presidente do DEM a partir de maio. Perguntado sobre o diálogo, Serra abaixa o fogo: “Não quero me meter nisso”.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

VEREADORES DISCUTEM MUDANÇA NA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

Hoje pela manhã os vereadores de Sobral estavam discutindo a mudança na Lei para facilitar a construção de imóveis em Sobral. A atual legislação prejudica e muito a construção de imóveis em várias partes de Sobral. Segundo apuramos., locais como o Derby poderão ser construído imóveis de vários andares. Outro ponto importante seria garantir a construção de imóveis no Bairro de Junco de até 03 andares.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

TIRIRICA É INOCENTE, DIZ JUSTIÇA



A Justiça Eleitoral de São Paulo absolveu nesta quarta-feira o deputado federal eleito Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca, da acusação de ter falsificado a declaração de escolaridade entregue ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) no ato da formalização de sua candidatura.

A ação penal contra Tiririca tinha sido movida pelo promotor Maurício Antonio Ribeiro Lopes, do Ministério Público Eleitoral, que apontava que o deputado federal mais votado de São Paulo era analfabeto e, portanto, havia falsificado a declaração entregue à Justiça.

O juiz Aloísio Sérgio Rezende Silveira, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, considerou Tiririca apto a exercer o cargo de deputado federal e afirma que bastam noções rudimentares de leitura e escrita para poder se candidatar a qualquer cargo eletivo no Brasil e, portanto, se afastar da condição de analfabeto. “A Justiça Eleitoral tem considerado inelegíveis apenas os analfabetos absolutos, e não os funcionais”, diz a sentença de Rezende.

No último dia 11 de novembro, Tiririca foi submetido a um teste de leitura e ditado para comprovar justamente se sabia ler e escrever. Segundo o juiz do caso, o deputado federal eleito demonstrou “um mínimo de intelecção do conteúdo do texto, apesar da dificuldade na escrita”.

Tiririca também foi inocentado da acusação de falsificação da declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral. Durante a campanha, ele declarou em uma entrevista que todos os seus bens haviam sido transferidos para o nome de familiares para fugir de ações de pensão alimentícia. O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo entendeu, porém, que a declaração de Imposto de Renda apresentada no processo legitimava o documento entregue ao TRE-SP. Para o juiz, mesmo que Tiririca tivesse realmente bens, ele teria que responder ao processo de sonegação fiscal, não de falsidade ideológica para fins eleitorais, como indicava a promotoria.


Em Sobral o vereador Itamar Ribeiro foi considerado analfabeto mas um recurso para o Tribunal Regional Eleitoral o absolveu.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

PMDB DE SOBRAL COM PROBLEMAS

A imprensa de Sobral vem noticiando uma certa chateação de alguns filiado do PMDB. O certo mesmo é que alguns de seus membros já estudam deixar o partido e se filiarem a outros em busca de sobrevivência. Nelson Tavares e Tiago Ramos estão sendo cotados para sairem do partido.

Eis os principais problemas do PMDB:
Ismerino Mendes pensa que ainda é presidente e manda no Partido.
Júnior Balreira não consegue manter o PMDB unido.
O PP (Partido Progressista), dos vereadores Zezão e Adauto Arruda, mostrou organização e está captando diversos pré-candidatos.
O PMDB só conseguiria eleger um membro para a Câmara Municipal.

Primeiro turno das eleições custou R$ 2,77 bi a candidatos, diz TSE

As prestações de contas de campanha referentes ao primeiro turno das eleições indicam, até o momento, despesa total de R$ 2,77 bilhões, o que corresponde a um gasto médio de R$ 20,41 por eleitor, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os candidatos que concorreram no segundo turno à Presidência da República e ao governo de oito Estados e do Distrito Federal têm até esta terça-feira (30) para prestar contas à Justiça Eleitoral.

O maior custo em valores absolutos foi dos candidatos de São Paulo, Estado que concentra 22,31% do eleitorado nacional. As contas prestadas por 2.552 candidatos paulistas somaram R$ 482,04 milhões. São Paulo é o maior colégio eleitoral do país, com 30.301.398 votantes, o que representa um custo médio de R$ 15,91 por eleitor.

Segundo maior colégio eleitoral do país, Minas Gerais está logo abaixo de São Paulo no ranking de gastos com campanha.

Para conquistar os votos dos 14.522.090 eleitores do Estado, os 1.365 candidatos que prestaram contas revelaram despesa total de R$ 336,65 milhões. Na média, R$ 23,18 por eleitor. E o Rio de Janeiro, terceiro colégio do Brasil, teve também a terceira posição nesse quesito, com 1.911 candidatos que declararam ter gasto R$ 211,62 milhões para tentar conquistar o voto dos 11.589.763 eleitores fluminenses. A média foi de R$ 18,26 por eleitor.

Em nenhum desses três Estados houve necessidade de realização de segundo turno para governador.

MENORES GASTOS

Os dois Estados que apresentaram menores gastos de campanha ficam na região Norte do país. No Amapá, 237 candidatos prestaram contas revelando gastos de R$ 12,13 milhões. O Estado tem 420.799 eleitores. Mas esses números devem crescer, uma vez que a eleição para governador foi decidida apenas no segundo turno. Com isso, os dois candidatos que disputaram a chefia de executivo estadual devem prestar contas até amanhã.

O segundo Estado com menor despesa foi o Acre: R$ 15,2 milhões gastos por 315 candidatos. O Estado tinha 470.975 eleitores aptos.

GASTO POR ELEITOR

Proporcionalmente ao número de eleitores, contudo, o recorde de gastos foi em Roraima, Estado com 271.890 pessoas inscritas no cadastro eleitoral. Os 413 candidatos que prestaram contas em Roraima declararam custos de R$ 26,18 milhões. A média por eleitor ficou em R$ 96,30. Os valores finais serão ainda maiores, uma vez que os dois candidatos a governador que concorreram no segundo turno ainda não apresentaram suas prestações de contas à Justiça Eleitoral.

Os concorrentes de Tocantins e Mato Grosso ficaram em segundo e terceiro lugar em despesa proporcional ao eleitor, pois apresentaram gastos médios por eleitor da ordem de R$ 54,09 e R$ 54,04, respectivamente. Tocantins tem 948.920 eleitores, e os 229 candidatos tocantinenses que prestaram contas declararam despesas de R$ 51,33 milhões. Já em Mato Grosso, que tem 2.095.825 eleitores, os 332 candidatos informaram ter gasto R$ 113,25 milhões. Nesses Estados, a eleição foi decidida em primeiro turno para todos os cargos.

Nesse quesito, Paraíba e Pará foram os Estados onde o valor dos gastos por eleitor foi mais baixo em todo o país. Na Paraíba, para conquistar os votos dos 2.740.079 eleitores, os 327 candidatos que prestaram contas à Justiça declararam gastos de R$ 26,15, uma média de R$ 9,54 por eleitor. E no Pará, 658 candidatos revelaram gastos de R$ 52,28 milhões, média de R$ 10,96 por votante, uma vez que o eleitorado paraense conta com 4.768.457 inscritos.

DEPUTADOS

As disputas para os cargos de deputado federal e deputado estadual/distrital foram as que mais despenderam recursos em valores absolutos. Em todo o Brasil, as eleições para a Câmara dos Deputados e para as Assembleias Legislativas, de acordo com os dados prestados pelos próprios candidatos, resultaram em gastos da ordem de R$ 1,83 bilhão, ou 66,13% do total de R$ 2,77 bilhões gastos por todos os candidatos que disputaram o primeiro turno.

Para tentar uma das 513 cadeiras da Câmara dos Deputados, 4.658 candidatos em todo país declararam à Justiça Eleitoral gastos que somaram R$ 908,20 milhões. A despesa média foi de R$ 194,98 mil por candidato e de R$ R$ 6,70 por eleitor.

Goiás foi o Estado que teve a maior despesa média por candidato --R$ 488,27 mil, resultado dos gastos de R$ R$ 55,17 milhões feitos pelos 113 candidatos que prestaram contas. No cálculo por eleitor, Roraima teve a eleição mais cara para deputado federal: foram gastos, em média, R$ 48,26 por eleitor.

As menores despesas médias por eleitor nas eleições para deputado federal deste ano ocorreram no Ceará, onde 114 candidatos informaram despesa de R$ 20,20 milhões para tentar conquistar o voto de 5.881.584 eleitores, uma média de R$ 3,43. Por candidato, o Amapá revelou gastos médios de R$ 65,58 mil, a menor do país.

Já para os 1.059 cargos de deputado estadual/distrital, 11,63 mil candidatos em todo o Brasil informaram gastos de R$ 924,80 milhões. Na média por candidato, a despesa foi de R$ 79,53 mil. Por eleitor, R$ 6,82.

Roraima teve o maior custo médio por eleitor na disputa para a Assembleia Legislativa: de acordo com dados apresentados pelos candidatos, foram gastos R$ 32,27 por votante. A menor média foi registrada na Paraíba: R$ 3,52.

O Estado de Mato Grosso teve a eleição com maior média de gasto por candidato a deputado estadual: R$ 150,57 mil. A menor média por candidato a esse cargo foi em Roraima: R$ 25,28.

GOVERNOS

As disputas para os governos estaduais foram as que apresentaram maiores médias de gastos por candidato.

Segundo o TSE, 141 pretendentes revelaram, até o momento, despesas de R$ 560,52 milhões, o que significa uma média de R$ 3,98 milhões por candidato. Esses dados também devem sofrer alterações com as prestações de contas dos candidatos que disputaram o segundo turno.

No cálculo por eleitor, o pleito para as chefias dos poderes executivos estaduais custou em média, até o momento, R$ 4,13.

SENADO

Para o Senado, 248 candidatos prestaram contas, informando a realização de despesas de R$ 353,46 milhões, média de R$ 1,43 milhão por candidato. Para a chamada Câmara Alta, a eleição em todo Brasil custou, em média, R$ 2,61 por eleitor.

Os dez candidatos ao Senado pelo Rio de Janeiro que prestaram contas revelaram gastos de R$ 31,58 milhões, uma média de R$ 3,16 milhões por candidato, a mais alta do Brasil. Os cinco concorrentes ao Senado pelo Acre, por outro lado, revelaram gastos de R$ 523,98 mil, o que dá uma média de R$ 104,80 mil, a menor de todos os Estados.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Serra reage: “Lula mente e deixa governo com déficit público maquiado, inflação ascendente, o maior déficit de balanço de pagamentos da história"



O ex-governador José Serra (PSDB) respondeu nesta quarta-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que cobrou um pedido de desculpas do tucano pelo episódio da “bolinha de papel” durante a campanha presidencial (ver posts abaixo).

Serra disse que Lula está em campanha para 2014 ao “mentir”. já que foi de fato atingido por um objeto durante visita ao Rio de Janeiro, além de uma bolinha de papel: “Ele continua fazendo campanha, talvez já tenha começado sua campanha para 2014, e dizendo mentiras inclusive muito pouco apropriadas para a figura de um presidente da República”, afirmou.

(…)Serra disse que o petista vai deixar uma “herança bastante adversa” para sua sucessora Dilma Rousseff (PT) com problemas na economia do país. “Está deixando um grande nó para o próximo governo, um nó de difícil solução que vai custar muito caro ao país: déficit público maquiado, inflação ascendente, o maior déficit de balanço de pagamentos da nossa história, câmbio supervalorizado com o crescimento descontrolado das importações.”

O tucano classificou de “megalomaníaco” o projeto de construção do trem-bala do governo federal e se mostrou contrário à recriação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). “Essa história de que vai repartir CPMF entre governo federal, Estados e municípios é conversa.”

Serra se reuniu no Congresso com lideranças do PSDB na Câmara e no Senado para fazer um balanço da campanha eleitoral.

O tucano fez mistério sobre seu futuro político ao afirmar que não tem planos para as próximas eleições. Ele negou que esteja negociando sua indicação para a presidência do PSDB ou do Instituto Teotônio Vilela, ligado ao partido. “Não estou em campanha. Estou me recuperando fisicamente da campanha, procurando trabalho, decidindo o que vou fazer para ganhar a vida. E vou continuar, como desde os 20 anos de idade, no trabalho político.”

DILMA COMEÇA A TRAIR POPULAÇÃO. NÃO CUMPRIRÁ PROMESSAS

Promessas de candidatos são afirmativas e são negativas. Há as coisas que eles juram que vão fazer, e há as que juram que não vão. Quando candidata, a agora presidente eleita, Dilma Rousseff, prometeu transformar a saúde num paraíso. Três dias depois da eleição, Lula testava a opinião pública ameaçando com a volta da CPMF, uma das coisas que ela rechaçara em campanha. A reação não foi boa, e, por enquanto, não se quer falar sobre o assunto. Mas ele voltará.

Dilma também negou com veemência que estivesse pensando num ajuste fiscal. Lembro três oportunidades:
“Com o país crescendo a 7%, com inflação sob controle, com o atual nível de reservas (internacionais)… Eu vou fazer ajuste fiscal para quê, hein? Eu não concordo que o Brasil tenha que se submeter sistematicamente, a cada fim de governo, a um ajuste fiscal”
(Dilma Rousseff em 7 de agosto de 2010)

*
“Eu não autorizo nenhuma avaliação a esse respeito. Eu vi as notícias, lamento, mas vou desmenti-las [sobre ajuste fiscal]. Não tem discussão neste sentido dentro da campanha. Ademais, o Brasil de hoje não é igual ao de 2002″
(Dilma Rousseff no dia 23 de agosto de 2010)
*
“Eu não vou fazer ajuste fiscal em hipótese alguma por um motivo: o Brasil não precisa mais de ajuste fiscal. Ajuste fiscal consiste em duas coisas: corte absolutamente linear de gastos, né? Vale de salário do funcionalismo a investimento público. Além disso, ele caracteriza também por um regime de caixa”
(Dilma Rousseff no dia 30 de agosto de 2010)

Muito bem. Agora vejam esta entrevista de Guido Mantega, ministro da Fazenda, que será mantido no cargo no governo Dilma. Ele revelou algumas coisinhas ao jornalista Heraldo Pereira, no Jornal da Globo:



Ele está prometendo um… ajuste fiscal, aquele negado por Dilma, mas prefere um eufemismo: “Consolidação dos gastos de custeio”. E o salário do funcionalismo, está claro ali, será um dos fatores do ajuste. Segundo Mantega, já houve muito aumento ao longo de oito anos. Estava com a língua tão solta (por assim dizer) que só faltou considerar: “Pô, já ganhamos a eleição; agora é possível falar a verdade”. E os investimentos? Também serão cortados, segundo se pode entender. Agora, diz Guido, é hora de a iniciativa privada fazer a sua parte.

Pois é… Estamos diante de uma questão política que rende um bom debate. Em 2003 — faz tempo, né? —, escrevi um artigo para a revista da Fundação Teotônio Vilela, do PSDB, em que afirmava que a oposição precisava tomar muito cuidado com o PT porque, para o partido, coerência é uma cruz que deve pesar apenas sobre os ombros dos adversários. Eles não têm qualquer compromisso com a palavra empenhada. Vitoriosos, lembram-se, então que têm algumas obrigações, esperando contar com a “responsabilidade” daqueles que foram satanizados nas urnas como expressões do atraso, do retrocesso e tolices afins.

Querem um bom exemplo? A tal PEC 300, que cria o piso salarial para policiais e iguala os vencimentos às das polícias do Distrito Federal! Trata-se de um baita pepino para o futuro governo Dilma se aprovada. O PMDB quer porque quer. Já se comprometeu com a categoria. O PDT também. De onde o petismo espera socorro? Das oposições! Então vejam que mágica fabulosa: na hora de partir para o abraço, os petistas hostilizam abertamente seus adversários. Com as oposições, os petistas querem dividir apenas uma coisa: o ônus de algumas medidas impopulares.

É vital para a democracia que a oposição pense também na própria sobrevivência. Se o seu papel se resumir a dividir com o governo o ônus das responsabilidades e da governabilidade, estará lascada. Uma das formas de ser responsável com o país é não dando um tiro no próprio pé. O reajuste dos policiais é uma bomba fiscal? É, sim. Dilma não tem poder para vetar uma PEC, mas será poderosa o bastante para mobilizar suas forças no Congresso, onde terá uma larguíssima maioria, para rejeitá-la se assim decidir. A governabilidade é compromisso de todos. Governar é obrigação de quem venceu.

O mesmo se diga sobre o salário mínimo. Mantega está dizendo que o governo quer R$ 540. É um valor para negociar, mas não chegará a R$ 600 de jeito nenhum, proposta do então candidato tucano à Presidência, José Serra. O que deve fazer a oposição? Aquilo que faz em todo o mundo democrático: lutar por sua proposta.

Por Reinaldo Azevedo

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A longevidade da moeda criada em 1994 é a prova mais contundente de que Lula mente

Em 28 de fevereiro de 1986, acuado pela escalada da inflação, o governo do presidente José Sarney não se limitou a cortar três zeros do cruzeiro, como fizeram quase todos os antecessores desde os anos 50. Também aposentou a velha moeda e criou o cruzado.

Três anos depois, ainda no governo Sarney, novamente sumiram três zeros e o cruzado foi substituído pelo cruzado novo.

Em 1990, dois meses depois da posse, o presidente Fernando Collor repetiu o truque da troca de nome com zeros a menos, aposentou o cruzado novo e ressuscitou o cruzeiro.

Em agosto de 1993, já com Itamar Franco no lugar de Collor, o governo amputou três zeros do cruzeiro e criou o cruzeiro real.

Em julho de 1994, último ano do governo Itamar, o real nasceu no bojo do plano com o mesmo nome concebido por uma equipe de economistas sob o comando do ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso. Em circulação há 16 anos, a moeda continua exibindo a saúde que faltou às versões anteriores, todas fulminadas pela inflação selvagem.


Instados a lidar com a maldição cinquentenária, Itamar Franco e FHC dispensaram-se de lamúrias, derrotaram o inimigo aparentemente invencível e enjaularam a inflação que parecia indomável. Herdeiro de um país financeiramente estabilizado, Lula foi o único presidente, além do antecessor, que não precisou encomendar à Casa da Moeda cédulas com outro nome, zeros a menos ou zeros a mais. Desde 1994, da menor fração à cédula de 100 reais, nada mudou.

“Recebi um país em péssima situação”, vive mentindo Lula. “Nós assumimos um país com a inflação descontrolada”, vive mentindo Dilma Rousseff. A permanência, a longevidade e a solidez da moeda são a prova mais contundente de que Lula, beneficiário da herança bendita, segue espancando os fatos para expropriar de FHC a paternidade do histórico ponto de inflexão: quem tem menos de 25 anos nem faz ideia do que é inflação.

Em paragens menos embrutecidas, pais-da-pátria que assassinam a verdade em público se arriscam a ter a discurseira interrompida por chuvas de dinheiro metálico. Graças a FHC, Lula e Dilma estão livres desse perigo: há 16 anos, os brasileiros não jogam fora sequer moedas de 5 centavos. A julgar por seu desempenho na campanha eleitoral de 2010, a oposição oficial nunca soube disso.